sábado, 19 de dezembro de 2009

A CHUVA, A CADEIRA, O CONE, A ÁRVORE E O URUBÚ...

OUTUBRO DE 2009. ERA UM DIA DE TRABALHO. UM DIA QUE NÃO FOI NORMAL. DIA DE CHUVA. CHUVA QUE NÃO FOI NORMAL. UM DIA DE ACONTECIMENTOS, QUE TAMBEM NÃO SÃO NORMAIS.
ESTAVA NA FARMÁCIA, TRABALHANDO ALI PELOS LADOS DO HOSPITAL DO CÂNCER, NO SETOR UNIVERSITÁRIO.
CHUVA FINA, LEVE, NADA DE NOVO. AOS POUCOS OS PINGOS FORAM SE TRANSFORMANDO, E PRA SE TRANSFORMAR EM CHUVA, FOI UM PULINHO.
A CHUVA ME PEGOU MEIO DE SURPRESA, POR QUE DEMOREI A ABAIXAR AS PORTAS QUE ESTAVAM ENTRANDO ÁGUA DENTRO DA FARMÁCIA.
SÓ FICARAM ABERTAS AS DUAS PRINCIPAIS, UMA DA RUA 10 OUTRA DA RUA 239 EM FRENTE O HOSPITAL.
VENTO PRÁ LÁ E VENTO PRÁ CÁ, E ÁGUA CAINDO, ME VEIO A PRIMEIRA SURPRESA DA CHUVA.
UMA ÁRVORE ENORME DO LADO DA RUA 10 BEM EM FRENTE À FARMÁCIA, CHAMADA DE MUNGUBA, PUF, ESPATIFOU-SE NO CHÃO, OBSTRUINDO A PRINCIPAL RUA DO SETOR UNIVERSITÁRIO, ISSO EU ASSISTI NA MINHA FRENTE, NA MINHA PORTA.
FICA UMA PERGUNTA.
-QUANDO A NATUREZA DERRUBA UM SER VEGETAL, NO CASO UMA ÁRVORE, QUE É SUA POR NATUREZA, É UM SUICÍDIO?
RESOLVÍ PASSAR PARA A OUTRA PORTA, E A ÁGUA CONTINUAVA CAINDO FORTE.
HAVIA MAIS PESSOAS ASSISTINDO DE CAMAROTE.
VEIO A OUTRA SURPRÊSA, UM TANTO CÔMICA, E ENGRAÇADA ATÉ.
A RUA 10 COMEÇA LÁ EM CIMA, E VEM DESCENDO E QUANDO CHEGA EM FRENTE A FARMÁCIA, A DESCIDA É MAIS VERTIGINOSA, E QUANDO CHOVE, MAIS PARECE UM RIO, E A SUA ILHA, SE TRANSFORMA EM RIO MESMO.
ACONTECE QUE NESTA ILHA HÁ ALGUNS PITDOGS.
EM QUESTÃO DE SEGUNDOS, EPA, LÁ VEM DESCENDO UMA CADEIRA, ISSO MESMO, EM ALTA VELOCIDADE.
VAI SER MULTADA, DISSERAM ALGUNS, DE ONDE VEM? DISSERAM OUTROS.
NÃO TINHA OCUPANTES.
-EPA, O QUE ERA AQUILO?
MAIS PARECE UM CONE.
O QUE ESTARIA ACONTECENDO?
UM CONE CORRENDO ATRÁS DE UMA CADEIRA EM MEIO Á UMA PLATÉIA QUE ASSISTIA TUDO, E NÃO ENTENDIA NADA.
-EPA, MAIS O QUE É AQUILO DE NOVO?
UM HOMEM VINHA MEIO QUE CORRENDO, CAINDO, RODANDO TENTANDO ALCANÇAR O CONE, E O CONE TENTANDO ALCANÇAR A CADEIRA.
DISSE.
PRONTO, DAQUI Á POUCO, VEM O PITDOG INTEIRO CORRENDO, TENTANDO SALVAR SEU DONO.
NÃO VÍ O RESULTADO.
NÃO SEI QUEM PEGOU QUEM,
SÓ TENHO CERTEZA DE UMA COISA,
NENHUM VOLTOU, E OLHA QUE LÁ EMBAIXO HÁ UM CÓRREGO, UMA PONTE, QUE EM ÉPOCA DE CHUVA CRESCE, E VAI DESAGUAR NO RIO MEIA PONTE.
MAIS UM MINUTO, PASSEI PARA A OUTRA PORTA;
-CHEGA, JÁ VÍ COISA DEMAIS HOJE.
PUFFFF......
UM URUBÚ EM PLENA CHUVA, QUE TEM MORADIA NO HOSPITAL ARAÚJO JORGE, POIS OS VEJO SEMPRE NOS ARREDORES, DESPENCA E CAI BEM NA NOSSA FRENTE, EMBAIXO DO POSTE DE ENERGIA ELÉTRICA.
-ESTÁ FALTANDO UMA ASA.
OLHAMOS PRA CIMA, E LÁ ESTAVA ELA PREGADA NO FIO.
O URUBÚ NÃO SEI PORQUE CARGAS DÁGUA, ESTÁ FAZENDO NUM LUGAR DESSES, NA HORA DA CHUVA, ASSENTA NO FIO E LEVA UMA DESCARGA DE ELETRICIDADE, TÁ FORTE QUE JOGOU ELE LONGE, FICANDO SUA ASA PRESA.
ISSO ALGUM DIA, PASSA PELA CABEÇA DE ALGUÉM, QUE UMA ÁRVORE CAI, A RUA VIRA RIO, UMA CADEIRA EM ALTA VELOCIDADE, UM CONE SEGUINDO UMA CADEIRA, UM HOMEM CORRENDO TENTANDO PEGAR OS DOIS, E UM URUBÚ DESPENCA DE UM FIO DE ALTA TENSÃO, POSSA ACONTECER EM QUESTÃO DE NO MÁXIMO CINCO MINUTOS?
TUDO PODE ACONTECER,
POIS ISSO ACONTECEU COMIGO,
MAGNUN, AQUELE QUE VÊ COISAS NATURAIS E COISAS SOBRENATURAIS,

4 comentários:

Magnun disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Magnun,parabens pela história. é inacreditável, que essas coisas acontecem,e pelo visto, acontece mesmo.isso jamais irá se repetir, em algum lugar,e em algum momento da vida.
abraços, marco polo.

Cleo disse...

Cheguei!!!uau!!!e aqui está hilário. menino, que coisa esquisita este dia, pobre do urubu sem asa agora, será que morreu?
obrigada pelas visitas, voltarei.
Beijos no coração e um Feliz Natal prá ti e a família.
Cleo

Helinha disse...

rsrs...

Adorei, Magnun!!

Nossa, como pode uma história tão engraçada em um simples dia de chuva!!

Acho que o importante mesmo são os seus olhos de escritor, que viram cada detalhe e transformaram nessa fantástica história!!

Parabéns!!

Beijos!!